segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade


TDAH: 
O Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) é um tipo de transtorno neurológico, que surge na infância, e em muitos casos, acompanha o indivíduo em sua vida adulta. TDAH é uma patologia crônica, altamente genética (75%), pouco conhecida, difícil de detectar e fácil de confundir, mas que se pode diagnosticar e tratar.

As crianças podem ser naturalmente ativas e desatentas! Mas uma criança muito inquieta, que não consegue ficar parada, não consegue esperar a vez, então o quadro já não é mais de uma criança levada e sim de hiperatividade, um dos sintomas de TDAH. É uma síndrome caracterizada por desatenção, hiperatividade e impulsividade causando prejuízos a si mesmo e aos outros em pelo menos dois contextos diferentes (geralmente em casa e na escola/trabalho).

O indivíduo que tem TDAH, é inteligente, criativo e intuitivo mas não consegue realizar todo seu potencial em função do transtorno que tem 3 características principais: desatenção, impulsividade e hiperatividade (ou energia nervosa).Ele afeta aproximadamente de 3 a 5% de crianças em idade escolar. O TDAH é diagnosticado muito mais frequentemente em meninos do que em meninas.

Crianças com TDAH podem ter sérios problemas de funcionamento social como dificuldades na escola, difícil relação com a família e os amigos, além de baixa autoestima. Para as pessoas com o distúrbio, atrasos e faltas fazem parte da rotina. A criança ou adolescente com TDAH (DDA) não sabe lidar com fracasso, frustração. Estão sempre ansiosos, sentem-se incompreendidos e irritam-se com facilidade.

Sintomas:
- Tendem a ser impulsivas (não esperam a vez, não lêem a pergunta até o final e já respondem, interrompem os outros, agem antes de pensar).
- Dificuldades com relação a horários, frequentemente não os cumprem.
- É comum apresentarem dificuldades em se organizar e planejar aquilo que querem ou precisam fazer.
- Dificuldades com relação a escala de prioridades
.- Com freqüência evita, antipatiza ou reluta a envolver-se em tarefas que exijam esforço mental constante (como tarefas escolares ou deveres de casa).
- Seu desempenho sempre parece inferior ao esperado para a sua capacidade intelectual.
- Em especial os meninos, são agitados ou inquietos, 
- Mexem pés e mãos, não param quietas na cadeira.
- Falam muito e pedem para sair de sala ou da mesa de jantar.
- Têm dificuldades para manter atenção em atividades muito longas
- Nas provas, são visíveis os erros por distração (erram sinais, vírgulas, acentos, etc.).
- Esquecem recados, material escolar ou até mesmo o que estudaram na véspera da prova.
- Com freqüência parece não escutar quando lhe dirigem a palavra.

A Terapia:
Após o diagnóstico feito por um profissional que entenda profundamente do assunto, o tratamento abrange psicoterapia estrutural e organizadora na criança ou no adulto, envolvendo toda dinâmica familiar, medicação quando necessário, muita informação e conscientização do que é TDAH (DDA). Comprovadamente a terapia cognitiva comportamental é que dá melhores resultados.

O terapeuta deve funcionar como um treinador, dando instruções e sinalizando ("perceba como está se perdendo em detalhes... como está desviando de seu objetivo..., pare, volte àquele assunto...") O foco da terapia deve ser a mudança de velhos hábitos que já se tornaram vícios, além do resgate da auto-confiança e da auto-estima, geralmente muito abaladas. A terapia vai aumentar os pontos fortes em vez de tentar diminuir os pontos fracos da criança.

O tratamento do TDAH varia de acordo com as necessidades de cada paciente, mas geralmente inclui treino comportamental e cognitivo. Não se deve esquecer que os pais desempenham papel fundamental durante o tratamento. As crianças hiperativas necessitarão de muito apoio, compreensão, carinho, e sobretudo muita paciência para que, pouco a pouco, consigam desenvolver seu dia-a-dia com normalidade.

Não é fácil conviver e lidar com crianças que sofrem de TDAH. Todos ao seu redor devem ser pacientes, persistentes e orgulhosos. A família tem importante papel no tratamento de transtornos infantis. Não basta medicar a criança. É necessário que os próprios pais façam psicoterapia junto com a criança ou o adolescente.Em alguns casos é preferido avaliar o problema de uma forma mais ampla para verificar o que está causando o sofrimento da criança, sem deixar de lado o contexto social da criança. Portanto, o tratamento é baseado em psicoterapia ou aconselhamento familiar. Se você apresenta algumas das características citadas, procure a ajuda de um profissional que conheça o TDAH profundamente e vá fazer uma avaliação com ele. Você pode mudar a sua vida!!

*O material deste site é informativo, não substitui a terapia ou psicoterapia oferecida por um psicólogo.

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Transtorno de Personalidade

Transtorno de Personalidade:
Personalidade é como a pessoa se relaciona com o mundo, são suas características pessoais (caráter), que são estruturadas na infância e adolescência. Um transtorno de personalidade aparece quando esses traços são muito inflexíveis e mal ajustados, ou seja, prejudicam a adaptação do indivíduo às situações que enfrenta, causando a ele próprio, ou mais comumente aos que lhe estão próximos, sofrimento e incomodação.O transtorno de personalidade se caracteriza por uma dificuldade de adaptação e inflexibilidade que gera sofrimento ao próprio indivíduo e as pessoas que convivem com ele.

Geralmente as causas de um transtorno de personalidade são múltiplas, mas estão relacionadas com a vida do indivíduo durante a infância e adolescência. Caracterizam pessoas que não têm uma maneira absolutamente normal de viver. Um transtorno de personalidade pode prejudicar um indivíduo de diversas maneiras, podendo em alguns casos levar à sua total exclusão da sociedade.

Habitualmente os transtornos da personalidade se acompanham de sofrimento e de comprometimento no desempenho global da pessoa. Outra característica deste transtorno é a ausência de bem-estar nas interações sociais e profissionais. Os indivíduos com distúrbios da personalidade normalmente não têm consciência de que os seus padrões de comportamento ou de pensamento são inadequados.

Entre os transtornos da personalidade encontram-se as classificações:- Transtorno da personalidade narcisista
- Transtorno da personalidade obsessivo-compulsiva
- Transtorno da personalidade esquiva
- Transtorno da personalidade passivo-agressiva
- Transtorno da personalidade depressiva
- Transtorno da personalidade sadomasoquista
- Transtorno da personalidade sádica
- Transtorno da personalidade paranoide
- Transtorno da personalidade esquizoide
- Transtorno da personalidade esquizotípica
- Transtorno da personalidade antissocial
- Transtorno da personalidade borderline
- Transtorno da personalidade histriônica
- Transtorno da personalidade dependente

Sintomas:

Emoções instáveis, impulsividade, auto-imagem oscilante, dificuldade de controlar a ira, intenso sentimento de rejeição e abandono, além de muitas vezes serem auto- mutilantes. Também têm que lidar com emoções de depressão, desordem alimentar e/ou abuso de substâncias. Muitas, principalmente nos primeiros anos, têm pensamentos constante de suicídio, seguidos de várias tentativas.

A Terapia:

As pessoas com esses transtornos geralmente não buscam tratamento por iniciativa própria. Para o tratamento de transtornos de personalidade, oferecemos estratégias para lidar com a doença, reduzindo assim os sintomas e melhorando a sensação de “bem-estar”. O tratamento desses transtornos é bastante difícil e igualmente demorado, pois em se tratando de mudanças de caráter, para que o tratamento seja efetivo, o indivíduo terá de mudar o seu próprio "jeito de ser".
Embora os transtornos de personalidade sejam difíceis de tratar, existem cada vez mais evidências de que a psicoterapia é o tratamento mais indicado. Com um tratamento adequado o indivíduo tem a possibilidade de se perceber e reestruturar melhor seu pensamento.Para o tratamento de transtornos de personalidade, oferecemos atendimento psicoterapêutico individual e familiar e também para casal, pois são tratamentos mais complexos e duração longa.

Esses transtornos de personalidade nascem com a pessoa e muitas vezes aparecem na adolescência. Cada pessoa tem um amadurecimento neurológico diferente. Cada pessoa tem um jeito de ser. Atuamos através do olhar sistêmico, ou seja, um olhar linear, onde a ideia é a inclusão de todos o olhares, juntar varias idéias, articular e depois aplicar esses olhares nos pacientes que estão sendo tratados.

Nossa experiência mostra que quando trabalhamos também as questões familiares ou do casal, o processo tende a evoluir de uma maneira mais completa,satisfatória, e em alguns casos há necessidade de acompanhamento psiquiátrico. Se você acha que tem essa desordem, procure atenção médica e suporte emocional imediatamente para que o tratamento seja efetivo.

*O material deste site é informativo, não substitui a terapia ou psicoterapia oferecida por um psicólogo.

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Medos e Fobias:

Medos e Fobias:
Todos nós somos um pouco tímidos, ansiosos e inseguros em certos ambientes e diante de estranhos. O Medo é um sentimento universal e muito antigo. O medo é um sentimento comum a todas as espécies animais e serve para proteger o indivíduo do perigo.

Raras são as pessoas que nunca se sentiram apreensivas, com dor de cabeça, palpitações, respiração rápida, aperto no peito, diante de situações novas e desconhecidas. Mas quando ele se torna exagerado e leva a situações paralisantes diante do fato (ou objeto) que gera esse sentimento, é preciso atenção. Isso se chama fobia e precisa ser tratado. Em função disso, não se pode tratar do caso como se fosse mera “frescura”.

As fobias atingem cerca de 10% da população. A maioria é de mulheres. Em geral surgem na infância ou adolescência, persistindo na idade adulta se não são tratadas adequadamente. A fobia na verdade é uma crise de pânico desencadeada em situações específicas.

Sintomas:
• Taquicardia, tremores, sudorese e boca seca,
• Sensação de bolo na garganta, 
• Dificuldade para falar,
• Rubor e ondas de calor
• Dor de barriga e diarreia,
• Vontade de fazer xixi, 
• Tonteiras, falta de ar,
• Mãos geladas e ataque de pânico.

A Terapia:
Diversos estudos, mostram que a Psicoterapia é a forma mais eficaz de tratar as fobias, de forma irreversível.

As primeiras sessões são destinadas a avaliação, o psicólogo precisa conhecer a dinâmica emocional de seu paciente para identificar o diagnóstico correto. Ao entender os verdadeiros motivos das fobias e com base na relação nova de segurança que vai estabelecendo no processo psicoterapêutico a fobia desaparece e não volta.

Uma terapia bem feita modifica as atitudes das pessoas fóbicas, pode transformar comportamentos disfuncionais em comportamentos espontâneos, e eliminar as “travas” emocionais. O paciente é exposto ao seu medo para que ali, no consultório, perceba suas reações e, sob orientação, veja que pode superar os medos irracionais. As pessoas podem sair da psicoterapia com pensamentos melhores e novas e melhores atitudes.

Marque uma consulta com seu médico ou profissional de saúde mental se uma fobia simples estiver interferindo em suas atividades diárias.

*O material deste site é informativo, não substitui a terapia ou psicoterapia oferecida por um psicólogo. 

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Timidez:

Timidez:
A timidez atrapalha a vida de milhões de pessoas que sofrem caladas. Pessoas tímidas geralmente não têm muitos amigos e não conseguem lutar por seus direitos e de expressar suas próprias opiniões ou valores. 

A timidez atrapalha o crescimento pessoal e profissional. É uma auto-avaliação negativa, criando um desconforto e inibição em situações de interação social. A timidez é considerada uma doença quando passa a causar sofrimento ao indivíduo que sofre com ela e quando afeta o seu relacionamento com a própria família e amigos.

Crianças e adolescentes tímidos sentem dificuldade em fazer valer os seus direitos e expressar as suas opiniões e valores. Já em adultos, poderão sentir dificuldade em prosseguir na sua carreira, em trabalhar em equipe e muitas vezes consome bebida alcoólica como meio de desinibição em situações de interação social. No entanto, uma criança inibida não está condenada a ser um adulto retraído. 

Sintomas:
- Elevada ansiedade, taquicardias;
- Suor repentino e excessivo;
- Aperto no peito e/ou no estômago;
- Ficar vermelho e ter dificuldade em falar com desconhecidos;
- Mãos trêmulas, baixo volume de voz e gagueira;
- Frases desconexas; Inibição e passividade;
- Medo de enfrentar o diferente ou o novo;
- Auto-Imagem negativa;
- Medo de parecer "bobo" diante dos outros;
- Reduzida expressão corporal;
- Sentimentos de vergonha, tristeza e solidão.

A Terapia:

A terapia vai gerar uma alteração na maneira como a pessoa encara cada situação e também aprimoram-se habilidades sociais. O tratamento tem a proposta de aliviar a ansiedade, reforçar a autoestima, despertar o interesses e construção de novas habilidades.

Através da terapia o paciente vai aprender a romper a timidez e promover novas mudanças no modo de pensar e de atuar no mundo.Durante o processo psicoterápico o paciente vai conhecer as verdadeiras causas da sua timidez. A terapia vai também proporcionar,  através do autoconhecimento, um aumento da autoconfiança da pessoa para que ela possa, em pouco tempo, romper esta barreira e facilitar o seu dia-a-dia.

Caso você perceba em você um medo muito grande de interagir com os outros, busque orientação de um profissional que possa lhe ajudar, para que possa sentir-se melhor. Supere a timidez e vença a inibição.

*O material deste site é informativo, não substitui a terapia ou psicoterapia oferecida por um psicólogo.

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Síndrome do Pânico

Síndrome do pânico:
A síndrome do pânico é um transtorno de ansiedade que gera ataques de medo intenso. Normalmente são pessoas extremamente produtivas, costumam assumir grandes responsabilidades e afazeres, são perfeccionistas, muito exigentes consigo mesmas e não costumam aceitar bem os erros ou imprevistos. O mais importante e mais difícil problema a ser resolvido em relação ao tratamento da Síndrome do Pânico é, exatamente, convencer o paciente de que seu problema é emocional e que tem tratamento.

A síndrome do pânico não é loucura, nem "brincadeira ou bobagem", entretanto, é um problema sério de saúde. Uma curiosidade interessante que envolve o transtorno do pânico é que, segundo alguns estudos, 90% dos seus pacientes acreditam que têm um problema físico, e não um problema psiquiátrico ou psicológico. Normalmente, a pessoa que sofre desse distúrbio costuma passar por cardiologistas, clínicos, hospitais e laboratórios, mas, na maioria dos casos, não apresenta nenhum problema físico.

A pessoa com a sindrome do pânico vive em uma constante situação de ansiedade, tanto em ações que poderia despertar a alegria como, também, a raiva. Não há uma causa definida para a síndrome se manifestar e pode ocorrer de um momento para outro e atinge qualquer indivíduo, particularmente entre os 10 e 40 anos. A síndrome do pânico é uma doença que vai paralisando a vida do paciente gradualmente.
Sintomas:
- Taquicardia, dificuldade de respirar
- Vertigem, tontura, tremores e náuseas
- Desconforto abdominal e perda do foco visual
- Sudorese e ondas de calor ou frio
- Sensação de iminência da morte
- Ressecamento na boca, perda de memória
- Sensação de estar passando por um ataque cardíaco
- Sensação de parar de respirar, falta de ar
- Medo de sair de casa desacompanhado
- Suor frio, aceleração cardíaca e mal estar geral
- Medo de vomitar em publico e de ter dor de barriga

- Medo de perder o controle, de ficar preso em algum lugar
- Sensação de estar “enouquecendo” ou de indiferença
- Desrealização – Sensação de que o ambiente não é real
- Despersonalização – Sensação de você não ser você mesmo
- Dormência ou formigamento nas mãos, nos pés ou no rosto
- Dificuldade em se concentrar no que está acontecendo ao seu redor

 A terapia:

O objetivo do tratamento é ajudar o paciente agir normalmente na vida cotidiana,reduzindo ao máximo o elevado nível de estresse . No tratamento é enfatizado a importância de se aprender a colocar limites nas relações interpessoais, entender que não se deve viver para agradar outras pessoas e que não se deve sentir responsável por todos e por tudo.

Consiste em poucas sessões para ajudar o paciente a mudar de atitudes, sair de situações difíceis e, principalmente ver os problemas com mais objetividade, ficando, portanto, mais fáceis de serem resolvidos.

Através da terapia ,o paciente vai entender e controlar as visões distorcidas dos estressores da vida, reconhecer e substituir os pensamentos que causam pânico e gerenciar o estresse. O pânico não desaparece espontaneamente; ao contrário, tende a agravar com o tempo.

A terapia costuma trazer bons resultados já a partir do início. Dependendo da determinação do paciente e sua possibilidade de fazer as tarefas propostas entre as sessões, o tratamento pode ser bastante rápido. A síndrome do pânico quando não tratada, produz sérias conseqüências na vida pessoal, profissional e afetiva de uma pessoa. Quanto mais precoce o tratamento, maiores as chances de superação.

*O material deste site é informativo, não substitui a terapia ou psicoterapia oferecida por um psicólogo.

segunda-feira, 4 de julho de 2016

Estresse

Estresse:
A organização mundial de Saúde afirma que o "Estresse" é uma "epidemia global". 

O estresse pode ser causado por qualquer situação ou sensação que o faz se sentir frustrado, irritado ou ansioso. O estresse pode levar à pressão alta, obesidade, doenças cardíacas, ansiedade, depressão.

O quadro de estresse é desencadeado principalmente naquelas pessoas que trabalham e/ou estudam muito e dormem pouco, nos indivíduos que se alimentam mal, nas pessoas privadas de momentos de lazer entre outras.

Sintomas:
- Fadiga mental, angústia e irritabilidade e insônia.
- Aumento do suor e falta de concentração.
- Mãos frias, desajustes hormonais.
- Perda do apetite, ansiedade, cansaço físico, autoestima baixa.
- Dores nas costas, no pescoço e na cabeça.


A Terapia:O primeiro passo é identificar a causa do estresse e verificar se é possível afastá-la. Se não for, é preciso criar estratégias para resolvê-la.

A terapia tem a finalidade de identificar e combater o stress revitalizando a mente e o corpo.  

O paciente vai aprender a controlar as emoções para se tornar uma pessoa mais equilibrada, tanto na vida pessoal quanto profissional.

O tratamento visa promover a confiança, reavaliar hábitos e mostrar que o estresse tem solução e pode ser evitado utilizando o poder da comunicação. 

Caso sinta que não está conseguindo lidar com seu estresse, não hesite em buscar uma ajuda de um psicólogo, antes que o problema se torne mais grave.

*O material deste site é informativo, não substitui a terapia ou psicoterapia oferecida por um psicólogo.

segunda-feira, 6 de junho de 2016

TOC e Manias

TOC e Manias: 
TOC e mania agem de maneiras diferentes. As manias são comportamentos repetitivos, gerados por crenças ou superstições. O problema, porém, é quando os sintomas se agravam e viram um TOC, caracterizado pela presença de obsessões ou compulsões recorrentes e tão severas para fazer com que o paciente passe a ocupar boa parte do tempo com elas, causando muito desconforto e comprometimento a sua vida. 

O Transtorno obsessivo-compulsivo consiste na combinação de obsessões e compulsões. As obsessões são pensamentos recorrentes e insistentes que se caracterizam por serem desagradáveis, repulsivos e contrários à índole do paciente.As compulsões são gestos, rituais ou ações sempre iguais, repetitivas e incontroláveis. No transtorno obsessivo-compulsivo os dois tipos de sintomas quase sempre estão juntos, mas pode haver a predominância de um sobre o outro. Um paciente pode ser mais obsessivo que compulsivo ou mais compulsivo do que obsessivo.

Freqüentemente as pessoas acometidas por este transtorno escondem de amigos e familiares essas idéias e comportamentos, tanto por vergonha, quanto por terem noção do absurdo das exigências auto-impostas. A pessoa é dominada por pensamentos desagradáveis de natureza sexual, religiosa, agressiva entre outros, que são difíceis de afastar de sua mente, parecem sem sentido e são aliviados temporariamente por determinados comportamentos. O TOC pode ser leve, moderado ou grave, mas sempre requer tratamento, ou seja, o TOC é tratável, mas não é curável. No entanto, é possível conviver com a doença, desde que tenha acompanhamento de médicos ou psicólogos. O componente genético tem grande influência no desenvolvimento da doença. Por isso, é relevante saber se alguém já teve a doença ou os sintomas na família.

Sintomas:
Os sintomas obsessivos mais comuns são:
- Medo de ser contaminado por germes ou sujeira ou outros contaminantes
- Medo de causar dano a si mesmo ou a outros
- Pensamentos “proibidos” envolvendo sexo ou religião;
- Dúvidas morais e religiosas 
- Medo de perder ou não ter as coisas que pode precisar
- Ordem e simetria: a ideia de que tudo deve estar alinhado “de determinada forma”
- Superstições, excessiva atenção para algo considerado como de sorte ou de azar
- Imaginar-se perdendo o controle Os comportamentos compulsivos mais comuns são:
- Excesso de controle das coisas, como fechaduras, eletrodomésticos e interruptores.
- Repetidamente fazer verificações a entes queridos para se certificar de que eles estão seguros.
- Contagem, batidas, repetição de certas palavras, ou fazer outras coisas sem sentido para reduzir a ansiedade.
- Lavar-se para se descontaminar 
- Arranjar as coisas, arrumar as coisas excessivamente.
- Orar excessivamente ou a prática de rituais religiosos provocados pelo medo.
- Acumulação de “lixo”, tais como jornais velhos, revistas e embalagens vazias de comida, ou outras coisas que você não vê utilidade.
- Tocar e contar objetos 

A Terapia:
O primeiro passo é conscientizar o paciente e sua família sobre a doença e seu tratamento. Há muitos casos de negação da pessoa e também da família, pois é uma doença crônica e requer o médico por perto durante toda a vida na maior parte dos casos. No entanto, é aconselhável que os profissionais solicitem auxílio aos familiares e amigos do paciente, pois todas as pessoas ao redor do portador dessa desordem exercem um papel muito importante. 

O diagnóstico é clínico, ou seja, baseado nos sintomas do paciente. Nenhum exame laboratorial ou de imagem é utilizado para o diagnóstico. O psicólogo ajudará o paciente a entender seu medo disfuncional e dos esquemas de responsabilidade, e junto com seu paciente modificará as interpretações irrealistas. 

Uma grande parte da terapia para o TOC ensina formas saudáveis, adequadas e eficazes de responder a pensamentos obsessivos, sem recorrer a um comportamento compulsivo. É necessário também que se trabalhe o fortalecimento das habilidades sociais do paciente, uma vez que esses pacientes costumam ter seu círculo de amizade, muito pobre ou até mesmo inexistente, seja por vergonha ou gravidade.

Se isso acontece com você, o melhor a fazer é procurar ajuda profissional, tanto de um Psiquiatra ou de um Psicólogo que entendam do assunto.

*O material deste site é informativo, não substitui a terapia ou psicoterapia oferecida por um psicólogo. 

segunda-feira, 2 de maio de 2016

Depressão

Depressão:

Atualmente, a depressão afeta 340 milhões de pessoas em todo o mundo, ou seja, uma em cada cinco pessoas em algum momento da vida já apresentou ou apresentará quadro depressivo. 

A depressão é uma doença que possui episódios de longa duração, provocando prejuízo psicossocial e físico, e em alguns casos, alto risco de suicídio.Ninguém é imune à depressão por toda a vida. Sentir-se abatido, desmotivado e triste algumas vezes é normal, mas sentir depressão não. 

Quando este sentimento perdura por semanas e não apresenta motivos lógicos para tanto, é necessário procurar ajuda porque a depressão aniquila a vontade e o interesse por quase tudo que cerca a vida.

Um ponto curioso em relação à depressão é a memória da pessoa depressiva, pois ela tende a lembrar só das coisas negativas, dos problemas não resolvidos, das mancadas que deu ou que deram com ela, e os eventos positivos vão para o esquecimento. Depressão não é tristeza. É uma doença que precisa de tratamento.


Sintomas:- Alterações do apetite e de sono e sentimento de pesar ou fracasso
- Dificuldade de tomar decisões e irritabilidade ou impaciência
- Achar que não vale a pena viver e chorar à toa
- Dificuldade de concentração e perda de energia e interesse
- Sensação de que nunca vai melhorar e inquietação
- Dificuldade para chorar e dificuldade de terminar as tarefas
- Sentimento de pena de si mesmo e pensamentos da pessoa depressiva
- Lentificação das atividades e dificuldade para iniciar tarefas
- Sensação de que nunca vai melhorar e persistência de pensamentos negativos
- Sentimentos de culpa injustificáveis e boca ressecada, constipação e insônia
- Perda de peso, apetite e perda do desejo sexual


A Terapia : Na terapia a pessoa aprende a tornar conscientes os seus pensamentos automáticos, aprende a questionar os pensamentos disfuncionais e a mudar as crenças que estão eliciando esses pensamentos negativos.

Inicialmente, o terapeuta trabalha no sentido de devolver ao paciente a flexibilidade através da análise de suas cognições, a fim de promover mudanças nas emoções e comportamentos. A readaptação dos pensamentos automáticos e das crenças disfuncionais provoca mudanças positivas nas emoções e no comportamento. 

A terapia vai ajudar a enfrentar e resolver os problemas, a reconhecer os padrões de comportamento repetitivo, rever a sua história de vida sob outro ângulo, lidar melhor com as crises existenciais, melhora o autoconhecimento e o amadurecimento pessoal. O mais importante é que o paciente saiba que depressão tem tratamento e a pessoa pode melhorar muito sua qualidade de vida. Agende sua consulta.

*O material deste site é informativo, não substitui a terapia ou psicoterapia oferecida por um psicólogo.

segunda-feira, 4 de abril de 2016

Ciúmes

Ciúmes:De todas as emoções que o ser humano apresenta, o ciúme é um dos mais comuns e inquietantes. Todos nós, alguma vez, já o sentimos. Ciúme é sinal de pura insegurança e falta de confiança.

Sentir ciúme é normal, mas, algumas pessoas sofrem demasiadamente com o ciúme, fazendo de sua vida e da vida de outras pessoas um verdadeiro tormento. Por isso, o ciúme não deve ser considerado como um sentimento banal e infantil, mas, sim, ser visto como uma doença que nos desequilibra e enfraquece.

O ciúme surge como um mecanismo inconsciente que procura controlar e reter o outro só para si. A necessidade de posse é um dos traços fortes do ciúme.

Sintomas:
- Vários telefonemas diários e não aceitam que a pessoa não possa ou não queira atender sempre.
- Implicam com roupas, decotes, penteados, perfumes.
- Interrogatórios excessivos para pegar contradições.
- Seguem e contratam detetives.
- Gastam horas parados na porta da vítima para ver se surpreendem visitas secretas ou saídas não informadas.
- Checam contas telefônicas.
- Interrogam porteiros para saber se a pessoa saiu ou recebeu visitas.
- Andam ao lado da pessoa na rua, observando para onde ela dirige o olhar.
- Discussões frequentes e cenas de ciúmes.
- Escolta pessoal para todo o lado.
- Sensação de baixa autoestima e paranóia.
- Ansiedade crônica e depressão.
- Acusações de infidelidade e interferência na vida social. 
- Fazem juras de amor sem aceitar o quanto são egoístas. 
- Ameaçam, agridem, podem chegar a matar a vítima.
- Ameaçam se suicidar.

A Terapia: 
Através da terapia o paciente vai lidar com alguma mágoa passada que tenha forjado essa característica na personalidade do paciente. O paciente aprende que ele tem que se amar em primeiro lugar, para depois amar alguém. 

Nas sessões, o paciente vai poder restabelecer o autocontrole das emoções, melhorar a autoestima e aprender a ter relacionamentos afetivos saudáveis. O objetivo da terapia é conduzir o paciente a transformar seu estilo de vida e construir relacionamentos interpessoais com qualidade. O tratamento é a melhor forma da pessoa acordar e ver que pode tentar ser melhor.

O ciúme quando incomoda e atrapalha deve ser tratado para não se tornar patológico.Por isso, se você acha que tem esses sentimentos pouco saudáveis, procure a ajuda de um profissional. Aprenda a lidar com o ciúme. Assim você vai poder ter uma vida mais feliz e tranquila novamente.

*O material deste site é informativo, não substitui a terapia ou psicoterapia oferecida por um psicólogo.

terça-feira, 1 de março de 2016

Ansiedade

Ansiedade:
Ansiedade é um estado emocional normal. Existe uma diferença entre ansiedade normal e a ansiedade patológica. Uma em cada quatro pessoas se preocupa além da conta. A qualidade de vida está totalmente ligada ao desenvolvimento da ansiedade. Quanto mais tensa for a sua rotina, maior a probabilidade da ansiedade surgir. 

Ficar muito ansioso eleva risco de doenças e até mesmo infartos.  A ansiedade pode roubar a sua paz, prejudicar seus relacionamentos e levar embora a sua saúde.
A ansiedade é um pensamento, sensação persistente, algo que não dá espaço para mais nada. 

Quando a ansiedade se torna avassaladora, é hora de procurar ajuda de um profissional para retomar a sua rotina. Os transtornos de ansiedade se não tratados adequadamente podem evoluir para a depressão.

Sintomas:
- Tremor, taquicardia e medo excessivo.
- Palpitações e nervosismo.
- Sensação de aperto.
- Náuseas. 
- Preocupações exageradas. 
- Falta de ar.
- Pensamentos negativos.
- Tensão muscular
- Dores nas costas e na cabeça, gastrites, diarreias, colites, elevações passageiras da pressão arterial, cansaço após fases de inquietação ansiosa, taquicardias, falta de ar passageira, dificuldade em iniciar o sono noturno.

A Terapia: 
Através da terapia o paciente vai perceber que o seu sofrimento não é único, entender as causas de suas dificuldades, aprender a partilhar tristezas e alegrias, valorizar suas virtudes e entender seus limites, recomeçar com um novo nível de consciência. 

O tratamento vai promover também a reflexão interna, trabalhar mecanismos de defesa, reduzir a ansiedade e fortalecer a autoestima, buscar o crescimento emocional e aceitar a dificuldade e saber administrá-la.

Com a ajuda da terapia o paciente ampliará a sua consciência que tem de si mesmo, aprenderá a administrar a ansiedade, fortalecerá a sua auto estima e descobrirá como cuidar das emoções de uma forma saudável. 

*O material deste site é informativo, não substitui a terapia ou psicoterapia oferecida por um psicólogo.

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

É importante alimentar a honestidade - Socorro Leite

Caráter e honestidade não se compram, vêm do berço. O  caráter é fazer o certo mesmo que ninguém esteja olhando. 

Viva de tal maneira que quando seus filhos pensarem em credibilidade, confiança, coerência, credibilidade, honestidade e integridade lembrem-se de você. 

Nenhuma herança é tão rica quanto a honestidade. Muitas pessoas iriam se assustar se elas vissem no espelho não o reflexo do seu  próprio rosto, mas o do seu caráter. 

Se você refletir e perceber que tem algum distúrbio de comportamento, é hora de procurar ajuda. 

Faça terapia e reconheça a honestidade como sendo uma atividade que quanto mais praticamos, mais vontade temos de viver, sendo honesto.

Ser honesto é um desafio neste mundo de falsidade e corrupção. Jamais perca seus princípios. Portanto, lembre-se: Podemos ter tudo na vida, mas se não tivermos caráter, não temos nada.

Se você preferir ouvir a mensagem completa gravada pela Socorro Leite, clique aqui.

CONTATO DA PSICOTERAPEUTA SOCORRO LEITE
Socorro Leite - CRP 06/108326
Av. Brigadeiro Luís Antônio, 317 sala 24 - Bela Vista - São Paulo
Site : www.socorroleite.com.br - Tel.: (11) 3101-8449  Cel.: (11) 9. 5956-7266

domingo, 31 de janeiro de 2016

A fé com atitudes gera superação - Socorro Leite

Devemos fortalecer a esperança e a fé para vencer.

Apesar de todas as tempestades,
todos os tropeços, todas as lágrimas derramadas até aqui, você deve acreditar que algo bom está por vir. 

Vá firme, crie suas estratégias, siga em direção das suas metas, não perca a esperança. Você nunca sabe o que o amanhã vai lhe trazer. 

Não olhe para trás, não é para lá que você vai. Mantenha o foco no objetivo, centralize a força para lutar e utilize a fé para vencer. 

Nenhum obstáculo é grande quando confiamos em Deus. Para quem tem fé, a vida nunca tem fim. Não desista nunca. 

Agora se você perdeu a fé e a força para lutar, procure ajuda de um psicólogo. A terapia ajuda você a criar  caminhos com mais esperança e equilíbrio. 

O inicio é sempre o mais difícil. Lembre-se: Não há escuridão que se propague se temos conosco a luz de Deus. Você merece o melhor e o melhor ainda está por vir. 

Se você preferir ouvir a mensagem completa gravada pela Socorro Leite, clique aqui.

CONTATO DA PSICOTERAPEUTA SOCORRO LEITE
Socorro Leite - CRP 06/108326
Av. Brigadeiro Luís Antônio, 317 sala 24 - Bela Vista - São Paulo
Site : www.socorroleite.com.br - Tel.: (11) 3101-8449  Cel.: (11) 9. 5956-7266

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

A falta de paciência afeta a saúde - Socorro Leite

O ser humano precisa ser mais paciente consigo mesmo e com os outros. 

Como ter ou não ter paciência em nosso dia a dia? Não é fácil ter paciência diante dos que têm em excesso.

Sempre considerei que a paciência em nossa vidja tem o efeito mágico de fazer as dificuldades desaparecerem e os obstáculos sumirem. Sabe por que? 

A paciência é a mais forte virtude, justamente por que ela nos ensina uma arte. A arte de esperar. 

Seja paciente e pense: todo mal que existe traz consigo algum ensinamento. Se você é uma pessoa preocupada, impaciente e ansiosa, procure a ajuda através de um Psicólogo e faça terapia  e descubra o que deixa você impaciente.

Aquele que tiver paciência de enfrentar seus desafios e correr atrás de seus sonhos, com certeza vai receber o que deseja. 

A paciência pode reduzir o estresse, melhorar a sua saúde e pode torná-lo uma pessoa mais feliz. 

Seja uma pessoa paciente, que pratique o exercício da paciência, que sua alma agradece. 


CONTATO DA PSICOTERAPEUTA SOCORRO LEITE
Socorro Leite - CRP 06/108326
Av. Brigadeiro Luís Antônio, 317 sala 24 - Bela Vista - São Paulo
Site : www.socorroleite.com.br - Tel.: (11) 3101-8449  Cel.: (11) 9. 5956-7266